Você aceita as suas Sombras?

Em 10/06/2019 , Comments

Por Regina Cunha

 

O CÉU E O INFERNO

Um dos entendimentos mais transformadores que podemos adquirir é o de que na verdade o céu e o inferno moram dentro nós...

A energia que sobressai em nós é aquela que decidimos alimentar. Se a nossa vida está mais tranquila, muito provavelmente é porque estamos vibrando mais no céu; do contrário, estamos vibrando mais no inferno.

As nossas atitudes perante as experiências que a vida nos proporciona estão diretamente relacionadas ao nosso entendimento sobre o mundo, as nossas crenças: limitantes ou empoderadoras. As crenças limitantes são aquelas que nos afastam dos nossos sonhos; as empoderadoras,  aproximam-nos deles.

Geralmente quando uma situação muito desafiadora chega até nós tendemos a nega-la, a não aceita-la, como se ela nada tivesse a ver com a nossa vida. Todavia, o que precisamos imperiosamente compreender é que se algo chega até nós é porque sintonizamos com ele de alguma forma, algum aprendizado ele está a nos trazer.

Dessa forma, vibramos no céu ou no inferno, independente das provocações da vida, mas sim pelas escolhas de transformarmos nossos desafios em oportunidades de crescimento e aprendizado, quando nos sintonizarmos com as nossas dificuldades; de nos permitirmos comemorar e aproveitar as bem-aventuranças, quando for chegada a “hora da colheita”. É preciso aceitarmos tanto os momentos de tristeza, quanto os momentos de alegria na vida. O medo da tristeza pode nos impedir de sintonizarmos com as nossas alegrias. Quantos lutos não vividos podem estar nos tirando a felicidade de viver? Você já pensou nisso?

A vida é um fluxo de altos e baixos. E está tudo bem! A questão é avaliarmos quanto tempo permanecemos e como nos comportamos em relação a esse fluxo. Nós somos consequências das nossas escolhas. Sempre...

Somos os criadores da nossa própria história!

Qual história estamos escrevendo da nossa vida?

 

AS SOMBRAS

Podemos chamar de sombras o que tendemos a não aceitar em nós, mas estão lá, apenas precisando ser acolhidas. Por vezes preferiríamos não sentir raiva, mágoa, decepção, inveja, cobiça, avareza, desamor, desprezo, medo, porque no fundo sabemos que essas vibrações não nos fazem bem, ou seja, elas nos adoecem. Por isso quanto mais rápido tomamos consciência disso e agimos na direção da nossa cura interior, melhor será a nossa saúde integral: o equilíbrio espiritual, mental, emocional e físico.

É imprescindível se permitir sentir... O que possamos estar rejeitando em nós nada mais é do que a porta aberta para o adoecimento. Não tem como curarmos o desconhecido.

É válido ressaltar que a cura se processa não é com o “não sentir”, mas com o que vamos fazer com o que estamos realmente sentindo. Quanto tempo vamos ficar conectados com as energias que não queremos mais vibrar. As sombras acolhidas são como um vulcão adormecido... Se a gente “alimenta-las” elas vão entrar em erupção... Cuidemos!

Aqui não adianta querermos ser Santos... A perfeição não é para esse mundo. Não é possível arrancarmos as sombras em nós.  E esse jamais foi o propósito Divino. Luz e sombra coexistem no nosso interior, independente da nossa vontade. O importante é que as nossas imperfeições não nos impedem de sermos seres extraordinários.

Os Acordos Espirituais nos ensinam que o nosso maior bem é o amor por nós mesmos. É o autoamor que cura o vazio no peito que às vezes fica tão profundo, que continuamente buscamos fora tudo para em vão tentarmos preenche-lo. É por isso que esses hábitos se tornam vícios, pois a cura não está no jogo, no álcool, no sexo, na comida, no cigarro, nas compras, na reclamação... A cura está em nós: na energia do amor...

 

O amor não julga, aceita;

O amor não julga, acolhe;

O amor não julga, liberta;

O amor apenas ama, por amar...

 

A PRÁTICA

Autoreflexão:

1)    Qual o seu nível de autoamor (inexistente/ baixo/ médio/ alto/ excelente)?

2)    As suas sombras estão mais em “erupção” (quando elas lhe dominam permanentemente) ou “adormecidas” (você detém o controle delas, mesmo quando tentam sobressair)?

3)    Você precisa acolher alguma(s) sombra(s) agora?

4)    Qual atitude você pode tomar hoje para ser uma pessoa mais feliz?

 

Conheça mais sobre meu trabalho clicando na imagem abaixo.

Gostou do artigo? Deixe o seu comentário e continue seguindo o nosso blog!

Um forte abraço.