Vidas Passadas – Sexualidade

Em 24/11/2015 , Comments

Esse é um tema recheado de tabus e preconceitos tanto quanto a espiritualidade ou vidas passadas. Ainda que estejamos no XXI, ele continua sendo camuflado, tolerado em alguns aspectos, não declarado em outros. Como você lida com a sua sexualidade? Ela consegue ser natural? Você sente prazer? É delicado esse assunto para você?

Espiritualidade e Sexualidade.

Você já parou para refletir que o conceito de macho e fêmea não se mantém no plano espiritual? Porque ali não existe a necessidade de união dos órgãos masculino e feminino para se reproduzirem. A alma é assexuada, consequentemente esses conceitos caem por terra. Não se vê dois espíritos querendo gerar um novo espirito, afinal, não é assim que funciona.

Yin e Yang.

A energia se divide em dois, Yin ou Yang, duas polaridades do todo, noite e dia, claro e escuro, calor e frio, etc. Os chineses dizem que apenas esses dois elementos não conseguiriam traduzir todas as possibilidades de construção do universo. Na visão oriental, não se separa o yin e o yang, é preciso ir mais além e ver como eles se relacionam entre si. Há muito mais nuances entre a noite e o dia e eles precisam ser observados por todos nós.

Vidas Passadas – Por que homem e por que mulher?

A dualidade do feminino e masculino não são opostas e sim complemento do todo, que se forma a partir dessa união. São apenas duas polaridades de um todo que gera o resto no universo. Cada uma dessas polaridades possui em si aprendizados ocultos que são fortes o suficiente para nos fazer decidir nascer nesse corpo ou em outro.

Por que nascemos homem e não mulheres? Ou vice-versa? Porque cada corpo possui em si aprendizados que nos ajudam a aflorar nossos Acordos Espirituais aqui e agora. Normalmente ser mulher está ligado a emoção, ser mãe, sensibilidade, se fazer ouvir, lutar pelos seus direitos de igualdade social, financeira, moral, pessoal. O corpo do homem favorece aflorar a sexualidade, ao excesso de responsabilidade ou o contrário, a sobrecarga, a energia de agressão, etc.

 

 

Vidas Passadas e agressão.

Dentro do consultório vi muitos casos de mulheres que não conseguiam ter prazer na relação sexual com seus maridos e isso estava gerando uma série de problemas na relação. Afinal, para elas não precisava ter sexo. Na maioria dos casos utilizei da regressão terapêutica para investigar a origem, cortar laços com o passado e verificar qual o aprendizado havia nessa situação que justificaria ela ter nascido mulher e não homem. Em uma das regressões, a mulher percebeu que o então esposo havia estuprado ela em uma vida passada. Por isso, ela não conseguia ter prazer na relação sexual e pior, ainda sentia medo dele. Tendo conhecimento disso, percebemos o real motivo dela estar junto com o esposo. Trabalhamos o perdão e a relação melhorou muito. Posteriormente, se submeteu a outra regressão e acessou uma vida onde foi ela quem tornou o então esposo um escravo sexual. Com isso, o que faltava para estarem 100% livres para se amarem e se perdoarem aqui foi sendo amenizado até o dia em que ela me escreveu dizendo que havia tido seu primeiro orgasmo com seu marido depois de 23 anos de casada.

Vidas Passadas e a homossexualidade.

Quando a homossexualidade surge, a pessoa não se identifica como homem em um corpo de homem e sim, mulher em um corpo de homem e vice-versa. Por que motivo existiria a necessidade de se nascer em “corpos trocados”? Ainda mais em uma sociedade tão tradicional e mantenedora dos velhos e “bons” costumes.

Vidas Passadas – Caso real de regressão e aprendizado na homossexualidade.

Lembro como se fosse ontem quando o Pedro (nome fictício) buscou a minha ajuda como terapeuta. Ele era homossexual e estava vivendo uma relação estável, porém, queria entender porque havia nascido assim. Ele dizia: “Seria muito mais fácil eu ser heterossexual, mas eu não consigo. Pior, me machuca o preconceito e julgamento que vejo nos olhos das pessoas quando elas me vêm junto do meu namorado”.

Pedro acessou uma vida passada onde era capataz de uma fazenda. Era muito preconceituoso, julgava as pessoas que ali estavam pela cor da sua pele, pela sua classe social, sua sexualidade, inclusive abusava e molestava ambos os sexos, humilhando eles. Depois de ter desencarnado, foi lhe explicado que somos todos irmãos e que não há diferença entre nós. Por isso, ele, junto com os amparadores decidiram que ele nasceria com essas tendências homossexuais para resgatar o preconceito, o julgamento, a insatisfação que havia gerado no passado por serem diferente uns dos outros. Ele conta que uma profunda paz se instalou em seu coração e a partir desse instante começou a pedir -mentalmente- perdão para cada pessoa que o julgava, pois sentia que poderia ser alguém desse passado e assim, conseguiu não mais se importar com o que falavam ou pensavam de sua relação.

Vidas Passadas e Acordos Espirituais na sexualidade hoje.

Acordos Espirituais são os nossos planejamentos feitos para durante essa vida resgatar nossas atitudes do passado. Quando fazemos algo ruim: agredimos, matamos, acabamos com a nossa vida, abusamos ou molestamos, entre outros, isso gera uma necessidade de equilibrar esse aprendizado sentindo ele igualmente. Por isso que tem tantas situações que a primeira vista parecem ser injustiças. Nada é como parece ser. Sempre existe a necessidade de se perguntar: qual o aprendizado oculto nessa situação? O que será que essa pessoa fez no passado para ter que atrair para si essa situação ou pessoa? Portanto, se alguém não consegue manifestar o seu eu dentro da sexualidade, sente dor, desconforto, medo, insegurança, fica tenso, entre outros, é preciso ir mais além. Setores da nossa vida onde não são tranquilos revelam aprendizados camuflados, ou seja, nossos Acordos Espirituais que devem ser resgatados nessa vida hoje para não piorarmos a situação para nossa próxima encarnação.

Exemplos de Acordos Espirituais na Sexualidade:

1-      Nascer com tendências homossexuais;

2-      Dificuldade em se relacionar sexualmente com outras pessoas;

3-      Sentir vergonha do sexo ou querer sexo o tempo todo;

4-      Sentir medo ou pavor quando pensa em relacionar-se sexualmente;

5-      Ser estuprado ou molestado na infância;

6-      Sentir-se atraído pelas exposições de artefatos históricos relacionados à sexualidade como o cinto de castidade, por exemplo.

7-      Ter asco de quem expõe a sua sexualidade excessivamente.

Você tem algum problema? Sofre com alguma coisa? Precisa de esclarecimento? Escreve aqui embaixo que ficarei muito feliz em poder te ajudar! E fique de olho pois o próximo artigo será sobre autoestima baixa e onde ela pode te levar, fique ligado.

Não esqueça de deixar seu e-mail aqui embaixo para ficar por dentro de tudo que acontece no blog e no canal do youtube!

Curta minha página no Facebook e inscreva-se no meu canal no Youtube!

Com carinho,
Aline Schulz.

-------------------------------------
Me acompanhe de pertinho nas redes sociais
- Facebook: Aline Schulz
- Twitter: @alineschulz
- Instagram: @alineschulz
- Periscope: @alineschulz
- Youtube: Aline Schulz