Vazio existencial, uma doença da alma

Em 19/03/2019 , Comments

Por Marcela Fernanda

 

O grito de socorro da alma, a sensação de estar no lugar errado, na família errada, é como se tudo e todos estivessem fora do lugar.

É o estar só mesmo quando rodeado de pessoas, ter tudo (materialmente falando) e não ter nada. Infelicidade que não tem fim. Nada faz sentido, não se consegue panejar o futuro pois falta objetivos. A disposição, o ânimo e motivação foram embora a tanto tempo que é trabalhoso demais buscar por eles. A positividade, perdeu sentido. Não há motivo para comemorar as pequenas conquistas diárias, perdeu-se a gratidão.

 

NÃO SEI QUEM SOU

A vida virou um ponto de interrogação gigante. Quem sou eu, que não sei quem sou? Por que nasci nessa família e nesse país? Afinal porque nasci? Qual o propósito da minha vida? O que vim fazer aqui, além de sofrer por aquilo que nem sei o que é? Que vazio é esse que preencho com felicidades momentâneas? 

O corpo físico fica doente. O corpo emocional não consegue administrar as emoções o que gera um grande desequilíbrio. O corpo mental não quer nem pensar no assunto, afinal não encontra a resposta mesmo! E o corpo espiritual anseia para que se encontre o verdadeiro caminho e liberte-se do deserto que a alma se encontra.

 

SE MEXA!

É preciso reagir. Acabar com esse vazio existencial, se harmonizar consigo mesmo, se reconectar com sua essência, resgatar a autoconfiança, elevar a autoestima, buscar o autoconhecimento e encontrar seu propósito de vida. 

 

É preciso entender os aprendizados para que quando esse buraco negro insistir em se abrir novamente você ter as respostas certas para preenche-lo. Quanto mais você se conhece, menores são as chances de você se perder no meio do caminho.

 

Fácil? Claro que não. Mas não dá mais para sair por aí em fuga. Reconheça que esse vazio existe. Olhe para isso com amor, aceite suas emoções e lembre-se que você não está só, busque ajuda profissional e movimente-se.

 

Quanto mais movimento, menos vazio.

Conheça mais sobre meu trabalho clicando na imagem abaixo.

Gostou do artigo? Deixe o seu comentário e continue seguindo o nosso blog!

Um forte abraço.