Relacionamento amoroso: como está o seu?

Em 17/06/2019 , Comments

Por Regina Cunha

 

EU versus EU

Uma relação é sempre formada por uma tríade: eu + tu = nós. É como um triângulo: um dos lados é o “eu”, o outro lado é o “tu” e a base é formada pelo “nós”. E essa tríade só terá a sua base fortalecida se houver equilíbrio entre os seus lados. Se o “eu” dominar ou se anular pelo “tu” o relacionamento começa a desmoronar e eles viram um só, pendendo para um dos lados e o triângulo se torna apenas uma reta, uma confusa e descoordenada reta...

 

Se eu lhe perguntar: quem é o amor da sua vida? O que você me responderia? Talvez você me responderia que é o seu filho/ filha, o seu companheiro/ companheira, a sua mãe/ pai, seu bichinho de estimação... Lembraria de todo mundo e se esqueceria de você... Mas o que é essencial compreendermos é que o amor por nós precisa vir primeiro, senão concomitante com o amor pelo outro... Se você não se amar, ninguém vai poder fazer isso por você. O Autoamor é imprescindível, único e eterno... Então a resposta mais adequada seria: “o amor da minha vida sou eu e... fulano, ciclano...”. A questão é que aprendemos que agir assim é ser egoísta... Entretanto,  isso é professar umas das atitudes mais nobres da vida: amar a si mesmo...

 

É válido ressaltar que o Autoamor não é passivo. Não é apenas “eu me amo como sou” e não fazer nada... Muito pelo contrário! Essa autoaceitação é a mola propulsora de tudo que você ainda pode ser! Ela traz leveza ao autoconhecimento, permitindo-nos acessar as sombras para intensificarmos cada vez mais a nossa luz!  

 

Dessa forma, quando falamos em Relacionamento Amoroso se faz necessária a a seguinte reflexão: “como está o seu amor por você?”. Isso vai afetar diretamente o seu amor conjugal de maneira agradável ou desagradável... Disso eu não tenho dúvidas! Reflita!

 

Amar a si mesmo, não é um ato egoísta; é uma nobreza de alma.

Ninguém poderá lhe amar por você; é um direito único e exclusivo seu.

 

 

EU versus TU

 

Triângulo ou reta? Você já refletiu sobre o seu relacionamento amoroso?

Equilíbrio ou autoritarismo/ autoanulação? Profunda reflexão...

Brigas, desentendimentos? Hora de mudar a si mesmo ou hora de dizer não? Profunda reflexão...

Relacionamento amoroso ou desamoroso? Qual é o seu?

 

Amar não é querer ficar só junto; achar que o que foi bom pra você tem que ser bom pro outro; gerar expectativas alheias, eximindo-se de responsabilidades... Amar é comungar a vida, equilibrando o que é comum com o respeito às individualidades. Sempre...

 

É imprescindível humildade para reconhecer e perdoar as falhas próprias e alheias;  entender que aqui nunca seremos perfeitos, simplesmente porque somos eternos aprendizes...

 

É necessário sabedoria para compreendermos o papel do outro na nossa vida. Quais emoções estão vindo à tona. Como lidar com esse furação de sentimentos que por vezes afloram no peito.  Compreender que o que o outro desperta em nós, não está nele... Especialmente nesse momento, quanto mais equilibrada a relação “eu” versus “eu”, menos desgastes mentais, emocionais e até físicos em prol de aprimorarmos o autoconhecimento.

 

Os Acordos Espirituais nos ensinam que é indispensável nos equilibrarmos interna e externamente. Equalizarmos nossas emoções, apaziguarmos com os desafetos familiares e contribuirmos pro mundo ser cada dia melhor, porque na verdade a humanidade está toda conectada... A energia que emanamos pro mundo é a que inevitavelmente recebemos dele... Pense nisso!

 

Independente do tipo de relacionamento, “eu” versus “eu” ou “eu” versus “tu”, o importante é entendermos que sempre precisará haver amor, respeito e tolerância conosco e com o outro. Quanto mais equilibrado o primeiro; mais feliz será o segundo.

 

Experimente!

 

O equilíbrio existencial está em você dedicar 50% do seu tempo com amor pra você e 50% pro outro; equilíbrio interno e externo.

 

 

A PRÁTICA

 

1)    REFLITA SOBRE TRÊS REGRAS BÁSICAS DA EQUILIBRADA CONVIVÊNCIA:

 

Regra nº 1: A mudança começa em você.

Avalie de 0 a 10 o seu Autoamor.

 

Regra nº 2: Separe o outro do seu papel.

Avalie de 0 a 10 o seu grau de expectativas com o outro.

 

Regra nº 3: O que você emana pro mundo retorna pra você

Avalie de 0 a 10 o seu nível de reclamação/ gratidão diário.

 

2)    PRATIQUE A REGRA DE OURO DA EQUILIBRADA CONVIVÊNCIA:

 

Regra de ouro: trate o outro com o respeito e a dignidade que você gostaria  de ser tratado.

 

Propague o amor!

Receba mais amor ainda!

Esse é o ciclo do Universo!

 

Compartilhe comigo se esse conteúdo foi útil para você. Eu vou adorar saber!

 

Muita luz no seu caminho!

Conheça mais sobre meu trabalho clicando na imagem abaixo.