Onde está a sua dor?

Em 08/07/2019 , Comments

Por Regina Cunha

 

SIM, VOCÊ PODE DEIXAR DOER.

Numa sociedade em que aprendemos que para ser feliz é  preciso ser forte, fragilizar tende a ser um dos nossos maiores desafios, senão o maior deles.

É imperioso compreender que ser frágil não é ser fraco... É apenas alinhar com a sublime humildade de não sermos perfeitos.

Alexandra Solnado, uma das minhas mentoras, especialista na área da espiritualidade,  nos ensina a Terapia do Choro. Sim, as vezes para curar você precisa apenas se permitir fragilizar, para lavar a alma... Quanto mais nos fecharmos em nossos bloqueios emocionais, mais dolorosa será a cura... Quanto mais não aceitarmos processar uma dor que precisa ser vivida, mais a estamos aumentando sem percebermos...  

Dentro dessa perspectiva consciencial nos tornamos algozes de nós mesmos,  autosabotadores natos. E na maioria das vezes buscamos nos outros as causas dos nossos infortúnios... Na busca da ilusória perfeição é inconcebível para a mente humana a possibilidade da autodestruição. E na verdade tudo que a humanidade busca fora, no externo, está dentro de cada um de nós... Possuímos o dom de curar as nossas vidas.

Quantos lutos não vividos, quantas dores não curadas, quantas doenças desenvolvidas por você não se permitir fragilizar? É necessário refletir com amor...

A sabedoria está na coragem de se fragilizar, não na ilusão de ter que sempre ser forte... A primeira nos aprisiona e adoece; a segunda nos liberta e cura.

Homens, mulheres, crianças, sim, nós podemos chorar...

Os bebês não pedem permissão para chorar... Onde nos desconectamos? Na autoexigencia, no excesso de cobranças? No orgulho de sintonizar com as nossas vulnerabilidades? Talvez não seja tão importante agora você achar essas respostas, todavia é imprescindível você se reconectar!

E cuidado, porque o choro terapêutico não é o choro de vitima que deseja que o outro viva para ela o que apenas a própria pessoa pode viver! O choro terapêutico é a coragem de deixar doer, aceitar o processo, fazermos as nossas cirurgias emocionais... Doer dói, mas cura!É na fragilidade que a encontramos a nossa fortaleza.

 

 

A FUNDAMENTAL CLAREZA

Você sabe onde dói?

Qual a sua maior DOR?

É o vazio no peito sem motivo aparente?

É achar que nunca é bom/ boa o bastante?

É não se achar merecedor/ merecedora da felicidade?

É não saber o que veio fazer aqui,  estar perdido/ perdida na vida?

É não conseguir mudar o outro?

É estar cansado/ cansada de não fazer o que precisa ser feito?

É o constante medo de errar,  de não dar certo, de perder, de sofrer, do novo?

Ou é a dor de não ser amado/ amada?

É impossível curar o desconhecido!

 

A PRÁTICA

Identifique uma dor que você precisa curar.

Silencie-se e faça três respirações profundas...

Permita sentir...

Chore o choro da cura.

 

Compartilhe comigo a sua prática!  Tire as suas dúvidas! Eu vou adorar saber!

Um grande abraço de luz!

 

Conheça mais sobre meu trabalho clicando na imagem abaixo.