O que você faz com o seu tempo

Em 25/03/2019 , Comments

Por Fátima Morais

 

Não sei se você sabe, mas sou de Portugal e dia 19 de março foi o dia dos Pais no meu País.

Quando abri o Facebook, só via fotografias dos amigos e amigas com os pais deles.

Bateu uma saudade tão grande do meu pai, por momentos senti a presença dele e desejei mentalmente para ele, um feliz dia do Pai.

 

Saudades do meu pai

O meu pai partiu há mais de 11 anos, de cirrose hepática.

Ele bebia escondido, só no final da doença é que percebemos o vício dele, pois não era pessoa de estar sempre embriagado.

Às vezes pensava  que a culpa dele beber era minha, pois o nosso relacionamento era tudo menos um relacionamento harmonioso, de pai e filha.

Senti muita mágoa por ele preferir estar com as outras pessoas, trabalhar demais, do que estar mais presente em casa, acompanhando o nosso crescimento.

Eu via as outras amigas terem uma relação muito forte com o pai delas, ficava cheia de inveja delas e com uma raiva tremenda do meu pai.

Afinal eu tinha tudo materialmente falando, mas não tinha nada, porque não tinha o carinho dele. 

Acho que nunca disse o quanto eu o amava, pois a raiva que sentia dele abafava todos os outros sentimentos.

 

Perder para valorizar

Foi preciso ter perdido ele, para dar valor a todos os sacrifícios que ele fez para nos dar tudo do bom e do melhor. Meu Deus como fui uma filha ingrata.

Como foi possível ter deixado que aprendizados meus e um orgulho idiota, me tivessem afastado dele. 

Quando o tempo passou percebi que as mágoas que tinha dele, não eram nada quando comparadas com a falta que ele me fazia.

A culpa que senti depois me angustiava, o remorso por não ter dito tudo o que eu queria dizer enquanto ele vivo, me sufocava.

 

Saudades 

Agora não posso fazer mais nada quanto a isso, não tem mais como dar um simples abraço bem apertado no meu pai. 

Ainda choro com saudade dele, não está fácil para mim escrever este artigo, mas preciso alertar você que não fala com o seu pai, por estar muito magoada com ele, que se agora dói estar brigada com ele, depois que ele partir vai doer muito mais. 

Ele não foi meu pai por acidente do universo, nós combinamos nascer pai e filha para cumprir um Acordo Espiritual nosso, assim como eu, todas as pessoas trazem Acordos Espirituais com os pais.

 

Acordos Espirituais: missão com seu pai

Se você está brigada com o seu pai e chegou até aqui, os meus parabéns, você tem merecimento de descobrir que Acordos Espirituais são esses e ao trabalhar esses Acordos, o seu relacionamento com o seu pai pode melhorar ou mesmo ser curado. Só depende de você.

 

04 Passos 

Para lhe ajudar, vou deixar aqui 4 passos que você pode começar a fazer agora mesmo. Se prepare que são bem fortes, o último passo vai ser bem intenso.

 

1º passo 

O primeiro passo é deixar de pensar no seu pai, com a mente inferior da sua criança interna, ou seja, em criança todos nós imaginamos os nossos pais como super heróis e inconscientemente levamos isso para a idade adulta.

Os nossos pais são seres humanos como nós, se nós falhamos, eles também falham, não é por serem pais que tem que ser perfeitos.

 

2º Passo

O segundo passo é deixar de pensar no seu pai como o super vilão que só sabia castigar você quando você errava.

Ele também também teve pais e está a replicar o que aprendeu com eles.

Ser pai é complicado, as crianças ainda não nascem com manual de instrução, não é mesmo?

 

3° Passo

O terceiro passo é olhar com carinho todos os sentimentos que o seu pai faz você sentir e escrever todos eles numa folha de papel.

Será interessante ver se já sentiu mais vezes esses sentimentos com outras pessoas, ou situações.

 

4º Passo

O quarto passo é um exercício de visualização.

Você vai fechar os seus olhos e vai imaginar que o telefone toca neste momento e alguém lhe dá a notícia que o seu pai acabou de falecer.

Você vai ter que preparar o velório do seu pai sozinha.

Você vai escolher a roupa, sapato, caixão, se vai ser cremado ou não, flores, vai avisar a família….

Você vai imaginar que está no funeral dele com a família toda e vai dizer diante de todos eles, as mágoas que você tem pelo seu pai.

Ao sair do funeral, você vai na casa dele guardar todos os pertences dele.

Imagina você tocando nas fotografias dele brincando com você, imagina você tocando nas roupas preferidas, ou objetos que ele mais amava, imagina nunca mais ver o sorriso dele, imagina entrar na casa dele e nunca mais ver ele.

Sinta essa sensação de nunca mais ter ele na sua vida…. chore se for preciso, limpe do coração todas essas mágoas e raiva. 

Agora abra os olhos e veja se essas mágoas são mais fortes do que os laços de pai/ filha, pai/filho.

 

Isto foi só um exercício, o seu pai está vivo.

 

Você pode ir neste momento abraçar ele é dizer o quanto ele é especial para você.

 

Não seja orgulhosa como eu fui….não deixe que essas mágoas atrapalhem o vosso relacionamento.

Infelizmente eu acordei tarde demais, por muitas vezes que faça este exercício e abra os olhos, o meu pai não está mais cá para eu lhe dizer o quanto o amo.

 

A culpa e o remorso 

A culpa e o remorso fazem muito mal a quem os sente.

Ao longo destes mais de 11 anos tive que aprender a lidar com estes sentimentos de mágoa e raiva por ele não ter sido um pai presente, também aprendi a me libertar da culpa e do remorso de não lhe ter dito o quanto o amava em vida. 

Especialmente porque o último dia do pai que ele passou vivo, eu esqueci de lhe telefonar por causa da vida corrida que tinha naquele momento.

Pensei que não tinha importância, ligaria no próximo ano…. só não contei é que aquele era o Último Ano Dele. 

Todos nós temos 24h, mas podemos separar um tempo para descobrir os nossos Acordos Espirituais, curar nosso relacionamento conflitante com o nosso pai e dizer para ele o quanto ele é importante na nossa vida.

 

Conheça mais sobre meu trabalho clicando na imagem abaixo.