Você busca justificativas ou soluções?

Em 20/05/2019 , Comments

Por Regina Cunha

 

VOCÊ PODE “SER HUMANO”

É impressionante como tendemos a aportar o dedo, buscando os responsáveis por nossos infortúnios. Você já percebeu? Quando não vivemos com consciência o momento presente, para nos perdermos profundamente no passado ou no futuro, buscamos justificativas externas e não soluções.

A questão é que enquanto apontamos o dedo pro outro, estamos na verdade apontando três dedos para nós. E esse “simples” gesto implica em profundas reflexões... A mais importante delas é o medo de se interiorizar, de se autodescobrir, de lidar com as próprias fragilidades, de simplesmente ser humano...

Ser frágil, não é ser fraco... A fragilidade é a coragem dos humildes; a fraqueza é a insensatez dos ignorantes...

Por mais que nos espiritualizemos, aqui nada nos afastará da nossa humanidade. Não é anormal sentirmos raiva, mágoa, tristeza; da mesma forma que não é anormal sentirmos misericórdia, paz e alegria. E está tudo bem se sintonizarmos com baixas emoções. O que precisamos observar é como as experenciamos. O quanto temos aprendido com as emoções de baixa vibração, para nos mantermos o mais possível conectados às emoções de alta vibração! Quanto tempo escolhemos ficarmos conectados a cada uma delas. Apenas isso...

 

DESAPEGAR PARA EXPANDIR

Desapegar é a coragem de seguirmos em frente, mesmo quando o medo estiver presente... Por isso são imprescindíveis o autoconhecimento amoroso e o agir no propósito. O primeiro, nosso maior potencial de energia; o segundo, o caminho individualmente sagrado. Isso promove a nossa cura integral e nos proporciona uma vida cada dia mais feliz.

Apegar ao passado, gera depressão. Está profundamente associado ao aprendizado do perdão e autoperdão... Expandir a consciência, para uma maior compreensão da vida!

Apegar ao futuro, gera ansiedade. Está profundamente associado ao aprendizado da esperança e autoconfiança... Por o pé para o Universo colocar o chão!

Viver no presente é se abrir pra felicidade! É compreender os nossos relacionamentos internos e externos, porque são neles que a vida acontece e temos as oportunidades de fazermos as nossas escolhas em prol do nosso crescimento integral, com o resgate do poderoso amor que existe dentro de cada um de nós, para não mais apontarmos o dedo e sim estendermos as mãos. É disso que a humanidade precisa, é disso que precisamos: a doação do amor incondicional. E isso só vai ser verdadeiramente possível se primeiro amarmos a nós mesmos...

 

A PRÁTICA

Vou compartilhar com você três perguntas poderosas para autoreflexão. Não as subestime!

1)     Qual é o seu nível de autoamor/amor próprio?

2)     O que você ama fazer faz parte da sua rotina?

3)     Você tem apontado mais o dedo ou estendido mais a sua mão?

Faça o exercício observando a relação entre as perguntas/respostas e compatilhe. Vou adorar saber!

Só é capaz de doar amor aquele que ama a si mesmo.

Muita luz e autoamor na sua vida!

Um grande abraço!

Conheça mais sobre meu trabalho clicando na imagem abaixo.

Gostou do artigo? Deixe o seu comentário e continue seguindo o nosso blog!

Um forte abraço.