O que um fio dental me ensinou sobre RESOLVER PROBLEMAS

Em 27/05/2018 , Comments

Olá...

Aqui é a Aline e hoje aconteceu uma coisa comigo que vire e mexe acontece, porém só hoje prestei atenção nela.

Não sei quanto a você, mas eu tenho um espacinho entre dois dentes em particular que sempre quando como algo, ali se deposita restos e que a escova de dentes por si só não resolve.

E isso me incomoda!

Tira meu foco, porque nem sempre estou com um fio dental por perto e isso me faz desfocar do que realmente é importante tentando tirar do meio dos dentes esse resto de comida.

Muitas vezes, quando vi, já se passaram horas e eu estou ainda passando a língua nesse lugar, buscando soluções “tabajara” para tirar o que restou ali... Papel, unha, clips, linha da roupa...

Você já passou por isso? Também se sentiu incomodado por causa dessa situação que lhe tirou do foco dos seus afazeres para tentar resolver essa situação?

E, olha que na vez que eu observei isso eu estava em casa, era um final de semana e eu bem que poderia logo ter passado o fio dental, mas não o fiz...

Resultado, mais de 1 hora depois eu ainda estava passando a língua tentando tirar dos dentes aquele resto... Só prestei atenção por que acabei cortando a língua! Ou seja: piorando a situação.

ALÍVIO

Num ímpeto me levantei e fui no banheiro passar o fio dental e de repente aquela sensação de ALÍVIO... Que delícia... O que estava me incomodando passou!

Puxa vida, por que não fui tirar antes? Foi tão rápido e eficiente? Usei a ferramenta certa e.. resolveu!

É... Nessa hora que eu percebi que eu tinha caído na ARMADILHA das SOLUÇÕES IMPROVISADAS.

Eu não sou nenhum gênio em criações, mas como a MAIORIA acabava por querer acabar com MEUS PROBLEMAS buscando soluções improvisadas e que no final das contas não resolvem nada, as vezes até agravam!

PRECISO DE AJUDA

Nessa hora, refletindo percebi: por que não buscar ajuda no lugar certo? Não deixar passar do ponto e complicar a situação? Toda a vez que busquei a ajuda certa foi sempre mais rápido e certeira a solução.

 

Quanto sofrimento em vão... Affff...

 

Em vez de buscar logo a ferramenta certa (como um fio dental) ficamos rodeando com outras formas improvisadas que complicam as coisas....

E por que não fazemos isso?

Muitos de nós acreditamos que buscar um especialista em algo é muito longe da nossa realidade.

TENHO MEDO

Por MEDO de pagar caro se sujeitam a formas de ajuda baratas, nada especializadas, que nem sempre dão o retorno esperado e nessa hora percebem que o barato se tornou caríssimo;

Por MEDO de que ninguém entenda o que sentem não abrem seu coração para encontrar a solução em meio a pessoas que já passaram por situações semelhantes. Nem sabem que existe esse tipo de profissional capaz de aliar formas diferentes de atuação e adaptar qual a melhor técnica, ferramenta ou método para o seu caso.

Por MEDO de serem julgadas, se mantem sofrendo para não expor seus problemas, passam a aceitar que sua vida é assim e baixam a cabeça, aprendendo a conviver com as “sujeiras no meio dos dentes”  quando poderiam eliminar ela completamente....

Com isso vão aos poucos deixando de ser quem de verdade são.

Se tornam outras pessoas! Não se reconhecem mais no espelho...

Sabe o que é mais doido nessa história toda?

É que medos são apenas pensamentos...

Não são reais!

A maioria de nós fica no “achômetro” em vez de perguntar, de ir atrás, de buscar algo específico para seu caso ser resolvido!

E quantas vezes somos levados pelo que achamos que é...

NOSSAS ESCOLHAS

A sorte na Vida somos nós quem construímos quando decidimos (e é uma escolha nossa) enfrentar o que nos incomoda, levantar a cabeça, buscar a origem disso e com a ajuda certa SUPERAR ISSO TUDO!

Não é possível sermos 100% felizes estando fechados... Isso nos deixa sozinhos e faz da nossa mente um inferno que quem olha de fora não vê a guerra, o inferno que está dentro!

Assim como a sujeira no dente não me deixava me concentrar no que precisava fazer, conviver com a dor, com o sofrimento, com o vazio, com o sentimento de não ser importante para ninguém, de não fazer fala NÃO É A SOLUÇÃO.

Seria muito difícil conseguir amar a vida se não tivesse o amor dentro de si mesmo para extravasar. Não é possível nos abrirmos para um ponto da vida e no outro não. Somos um só e se nos fecharmos para não sentir mais essa dor, frustração, raiva, mágoa, tristeza deixamos de ser quem em essência nós somos!

Se prevenir, fugir ou fingir que está tudo bem não é uma boa escolha...

Traz a armadilha de se você IMPROVISAR...

 

IMPROVISAR NÃO É RESOLVER!

Decidir RESOLVER o que te incomoda envolve dedicação, coragem, investimento, ousadia e mentoria!

Lembra de cada situação que você teve, as noites mal dormidas por causa dos filhos doentes, o cansaço do trabalho que não deixava você sequer conversar ou ter uma noite romântica à dois, aquela angústia horrível que não ia embora de jeito nenhum?

É uma ilusão achar que amenizar algo enjambrado uma maneira para acalmar os ânimos vai resolver.

Muito pelo contrário, só vai fazer voltar a situação...

Repara quantas situações vão e voltam na sua vida!

Sabe por que elas voltam?

Por que não foi resolvida e sim enrolada, disfarçada, camuflada, escondida...

 

NÃO CONSIGO...

E, detalhe importante...

Não devemos ter vergonha por não saber resolver os nossos problemas!

Não nos ensinaram a olhar para eles... Não nos disseram que nem sempre iríamos conseguir sozinhos... Não nos alertaram para saber quando é a hora de pedir ajuda!

E, tudo começa por nós!

Se nós estamos bem, o que mandamos de energia para o mundo vai como uma pedra jogada num lago ela reverbera e se ampliam círculos que vão até a borda e retornam para o ponto de origem: no caso você!

Por isso, não saber SE DEFENDER, lidar com os desafios do dia a dia impedem que VOCÊ POSSA SER A PESSOA QUE NASCEU PARA SER. E, assim como uma planta vistosa, daquelas lindas que você recebe no seu aniversário, se não for regada, cuidada da forma certa, vai murchando, perdendo sua vitalidade, a sua essência até que morre...

E se você decidiu que quer resolver esse problema, que não quer ele mais como um companheiro da sua vida e acreditou  que a melhor forma era lidar com ele de forma sozinha, improvisada para conseguir ter paz no seu coração, leveza para lidar com a família, voltar a sorrir, ter brilho nos olhos, não está conseguindo e por puro medo não está buscando outras alternativas, sinto muito em ter que te dizer: VOCÊ ESTÁ FALHANDO!

A boa notícia é que ainda há tempo de viramos esse jogo.  Se você quer voltar a ser aquela pessoa sorridente, leve, feliz e está disposta a fazer o que precisa para resgatar a sua essência indo na origem da questão nós podemos te ajudar!

MUDE AGORA

Daqui a 8 semanas você pode estar no mesmo lugar que ainda está agora, lutando com as mesmas coisas e ainda tentando resolver tudo sozinha ou ...

...pode viver realmente uma vida com uma história de amor com quem você escolheu dividir a sua vida!

...saber lidar com o que se apresenta, sem esquecer de si mesma.

...conseguir falar o que sente de forma equilibrada;

...retomar a sua vida se destacando no trabalho;

...lembrar de quem você é e evitar uma nova decepção...

 

Mas você não precisa decidir nada disso agora, a única decisão que você deve fazer nesse momento é clicar no botão abaixo e agendar uma sessão de esclarecimento conosco para entender melhor como tudo isso é possível.

Agora, saiba, que nada é de graça e tudo tem um preço. As vezes esse preço é MUITO maior que dinheiro e você pode estar prestes a pagar por isso...

Vamos mudar isso enquanto há tempo?

Você vai ao menos SE DAR essa chance certo?
 

Aceita?

Com carinho,

Aline Schulz.

Obs.:

Mentoria com Aline Schulz

Para você que acredita que eu possa ser a sua Mentora nessa jornada...

Mas, atenção...

Só agende a sua Sessão de Esclarecimento se você estiver disposto a fazer o que precisa e investir para mudar a sua situação.

Um dos motivos das pessoas terem tanto sucesso comigo é por que elas estão abertas a fazer o que precisa para virar o jogo.

Se é o seu caso, agende essa sessão para conversarmos mais de perto.

Um grande abraço,

Aline Schulz.